terça-feira, 18 de setembro de 2012

QUEM TEM MEDO DO LOBO MAU?

Eu tenho!
Deixa-me perdida, insegura.
Ao mesmo tempo, fico louca com a sua bravura.
Não tem medo de nada.
É um doce mentiroso.
Sem escrúpulos, mas cauteloso.
Deixa-se amar, mas não ama.
E ainda o deixo deitar-se na minha cama.
Mente sem vergonha, a verdade não é para nós.
É muito quente o seu olhar, perturbador até demais.
Não me ouve, eu sei!
Mas cheira-me como ninguém.
Da sua boca, temo, que me devore também.
Ana Guedes Campos